A evolução da construção civil no Brasil é pautada por alguns fatores. Com um déficit de mais de 7 milhões de unidades habitacionais, segundo estudos da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), o segmento tem uma série de oportunidades para fortalecimento.

A construção industrializada, neste cenário, é tendência para os próximos anos no Brasil, principalmente pela tecnologia e inovação embarcadas em seu modelo construtivo. Neste sistema, a maior parte dos processos ocorre dentro de um ambiente fabril, e externo ao canteiro de obras (off-site). Aqui, é onde temos o primeiro ponto de destaque: a assertividade do planejamento.  

Fábrica Tecverde em Araucária-Paraná 

Com o advento de ferramentas como o BIM, o planejamento de obras passa a ser mais eficaz dentro da construção industrializada, já que este sistema sofre menos interferências externas como por exemplo, problemas com intempéries climáticas, ou altas de material de construção.

O cronograma de obra também passa a ser mais veloz. Na Tecverde, conseguimos observar a redução do ciclo total da obra de até 12 meses. Com esta aceleração, a construtora já recebe as medições da Caixa Econômica de forma antecipada, do que se comparado a uma obra tradicional. Historicamente, os parceiros Tecverde conseguem receber até 40% das medições já no primeiro terço do cronograma do empreendimento.

Quando falamos de wood frame outro ponto de economia construtiva é em relação a fundação. Neste caso o modelo utilizado é o radier, que é uma laje de concreto armado em contato direto com o terreno e que abrange toda a área da construção. Esse tipo de fundação apresenta vantagens como baixo custo e rapidez na execução, além de redução de mão de obra se comparada a outros tipos de fundação.

Dentro da fábrica de casas, também conseguimos observar a agilidade dos processos e as reduções de prazos e custos, seja em suprimentos, já que com a construção em escala é possível aumentar o poder de negociação com o fornecedor, seja nos indiretos de obra já que a montagem dos módulos exige muito menos pessoas em canteiro.

Podemos dizer que a construção industrializada off-site atua como a principal solução para as construtoras e incorporadoras ganharem em escala, com mais velocidade e sem a necessidade de aumentar o seu custo operacional (G&A).

Outro ponto a se mencionar, é que em média, as obras Tecverde são executadas aproximadamente em 25% do tempo que seria necessário para executá-las no modelo de construção convencional – em alvenaria de tijolos e concreto armado. Com isso, o ciclo de capital se torna muito mais curto e, consequentemente, o retorno aos investidores e a Taxa Interna de Retorno tendem a aumentar, tornando tais empreendimentos mais vantajosos.

Com isso, a Incorporadora que optar pelo sistema off-site consegue lançar um número maior de empreendimentos no mesmo período com o mesmo volume de capital, atingindo Taxas Internas de Retorno superiores e exposição de caixa inferior aos praticados no sistema convencional.

Com a tecnologia inserida na linha de produção a qualidade do produto final também é um ponto de destaque quando falamos da construção off-site. O controle de insumos é realizado de forma criteriosa, e é facilitado pela produção industrial que utiliza da automação em seus processos reduzindo o trabalho manual tanto na produção quanto no canteiro, o que traz ainda mais qualidade ao empreendimento entregue.

Pinhais Park | Parceria Tecverde e Valor Real

 

Para os empreendimentos que participam do programa Casa Verde Amarela, a industrialização é um fator que contribuiu e muito, para assegurar os processos e requisitos de qualidade. Neste caso, não entram apenas as questões sustentáveis, mas o cumprimento de prazos e a padronização das unidades.

Sustentabilidade

Não podemos falar de construção industrializada e não mencionar os benefícios para o meio ambiente.

Primeiro, quando falamos do sistema construtivo Tecverde, em wood frame, temos a redução significativa no consumo de água. A também chamada de construção a seco, utiliza até 90% menos água que a construção tradicional. Um insumo importantíssimo para a manutenção da qualidade de vida, hoje, vemos inúmeros estados brasileiros que sofrem com a falta de abastecimento de água, é preciso economizar, quanto antes melhor.

Segundo, temos a redução de até 85% na geração de resíduos. Isso acontece principalmente por conta do planejamento e modelo de produção: com as paredes, coberturas e entrepisos produzidos dentro da fábrica, os cálculos de insumos são mais precisos, assim como são evitados falhas e desperdícios, já que a construção deixa de ser tão artesanal, como ocorre nas obras de alvenaria, por exemplo.

Por fim, podemos citar a redução na emissão de gases poluentes em toda cadeia produtiva, mas, principalmente, porque a madeira utilizada no sistema construtivo Tecverde é originária de florestas plantadas. Assim, além de ter emissões de CO² até 105 vezes menores do que as da madeira nativa serrada, é considerada neutra em carbono, uma vez que o gás carbônico gerado pelo seu transporte e beneficiamento é quase inteiramente compensado durante sua fase de crescimento.

A tendência mundial é de que cada dia mais a preocupação com o meio ambiente e geração de resíduos seja pauta para os principais setores da economia. Dentro da construção civil, por exemplo, já temos grandes organizações que certificam empreendimentos que atendem alguns requisitos de sustentabilidade.

Os selos, LEED, GBC e WELL, são algumas destas modalidades que além de contribuírem com a saúde e bem estar da região em que estão inseridos os empreendimentos, ainda trazem para a empresa economia financeira, com a redução no uso de energia, água e recursos naturais, além da redução de custos operacionais e riscos regulatórios.

As residências construídas com o sistema wood frame, também se destacam no ponto da eficiência energética. Na Tecverde, por exemplo, nossas paredes ganham membranas e revestimentos que auxiliam na manutenção da temperatura interna, garantindo um desempenho térmico superior ao indicado na NBR 15.575. Assim, é possível uma redução considerável no uso de climatizadores.

A função destas proteções também engloba o desempenho acústico, atenuando a entrada de ruídos na residência, assim como a umidade, combatendo o aparecimento de mofo e patologias estruturais.

É possível levar todos os benefícios da construção industrializada para sua construtora. A Tecverde atua como parceira de negócio, desenvolvendo toda produção das residências, sendo casas térreas, sobrados, ou empreendimentos multifamiliares de até 4 pavimentos. Com escopos diversificados de obra, podemos levar toda essa tecnologia e inovação para seus clientes. Quer saber mais? Acesse o link e entre em contato conosco.

Copyright © 2021
Ir para o topo