Skip to main content

Construção modular off-site: mercado em expansão

Fonte: CTE

Tendência no Brasil e no mundo, a construção modular off-site é um sistema baseado em módulos industrializados fabricados fora do canteiro. Ao viabilizar a execução simultânea de tarefas, essa metodologia proporciona entre 30% e 50% de redução dos prazos. Outras vantagens associadas à construção modular off-site são a melhor qualidade, a maior previsibilidade e a redução de desperdícios decorrentes de um processo de fabricação padronizado e executado em ambiente controlado.

Alvo de muitos investimentos, a construção modular foi tema de um report elaborado pela Terracotta Ventures, divulgado no final de 2020. O trabalho, que teve o apoio do CTE, aborda aspectos técnicos desse sistema capaz de solucionar dores importantes do setor.

PROJEÇÕES DE MERCADO

Segundo o relatório da Terracotta, 77 startups de construção modular receberam investimento desde 2010. No total, foram 130 rodadas que movimentaram mais de US$ 2,29 bilhões. No Brasil, foram mapeadas 55 startups, que estão em early stage em sua grande maioria.

Outro dado interessante vem do levantamento da Markets and Markets, que projeta uma taxa de crescimento anual de 5,75% para o mercado de construção modular global entre 2020 e 2025. Esse mesmo estudo aponta Brasil, China e Japão como locais com maiores oportunidades para a construção modular se desenvolver.

Na visão dos autores do trabalho, a escassez ou o alto custo de mão de obra, além do deficit habitacional elevado, são fatores que impulsionam a adoção construção modular. Em muitos países, a expectativa é a de que esse sistema construtivo cresça a uma velocidade duas vezes superior à apresentada pela construção tradicional.

QUEM JÁ APOSTA NESTE MODELO?

O report da Terracotta projeta um mercado de R$ 2,08 bilhões anuais para a construção modular no Brasil, muito em função do mercado de baixa renda.

Algumas empresas vêm fazendo movimentações interessantes que confirmam essa expectativa. É o caso da Tenda, um dos principais players de habitação popular do país. Focada em empreendimentos verticais, a construtora está investindo R$ 12 milhões no desenvolvimento de alternativas aos sistemas convencionais, em especial na construção modular off-site com frames de madeira (woodframe).

WhatsApp Image 2020-07-13 at 17.11.29
Hospital M’boi Mirim, parceria entre Brasil ao Cubo e Tecverde

Quem também reflete a expansão do mercado de construção modular offisite é a Brasil ao Cubo. A startup constrói a partir de módulos metálicos 3D, explorando, principalmente, a vantagem proporcionada pela redução de prazos de execução para melhorar a taxa de retorno de estabelecimentos industriais, comerciais, e emergenciais. 

Há, ainda, a Tecverde, que soma mais de 175 mil metros quadrados construídos em todo território nacional a partir de um sistema construtivo que conta com até 85% das etapas alocadas em ambiente fabril. A empresa atua intensamente em programas de habitação popular e sua metodologia construtiva pode ser financiada  para habitações térreas e prédios de até quatro pavimentos.

Saiba mais: 
>> Os benefícios do wood frame para a construção civil Brasileira
>> PMO: a unidade por trás dos ganhos de produtividade na construção

Outras notícias

Brasil é o quinto país no mundo com o maior número de construções ESG

18/11/2021
Fonte: GBC Brasil  A construção civil entrou de vez na dança do ESG (sigla em inglês para práticas ambientais, sociais e de governança)....

Tecverde e JN constroem o maior empreendimento industrializado off-site do Brasil

18/11/2021
A cidade de Cascavel, no Paraná, entrou definitivamente para a história da construção civil brasileira ao receber hoje o maior...

FILI 2021 reúne especialistas do mercado para debater futuro do setor

17/11/2021
Fonte: Estadão Online Fórum de inovação e liderança da incorporação trouxe temas como o avanço da digitalização na venda de...

Tecverde é destaque no Valor Econômico

17/11/2021
Tecverde terá mais duas fábricas nos próximos 4 anos Fabricante de casas de painéis com estrutura de madeira investirá até...