Prédio Tecverde_montagem 2

O dia 24 de agosto de 2016 entrou para a história da construção civil brasileira como a data da finalização do primeiro prédio com tecnologia sustentável wood frame do Brasil, em Araucária, no Paraná. A montagem do prédio de três pavimentos durou 64 horas, com jornadas de oito horas de trabalho diárias foi feita em parceria com a CRM Construtora. Mais de 200 profissionais, empresários e entidades do setor da construção de todo o país visitaram a obra e a fábrica da Tecverde e puderam conferir de perto a eficiência e qualidade do sistema construtivo, além de acompanhar a montagem em tempo real do último pavimento do prédio. Compareceram diretores de grandes construtoras como MRV, Casa Alta e Rodobens, bem como parceiros de grandes entidades como Ministério das Cidades, Caixa Econômica Federal, Sinduscon-PR, CBIC – Câmara Brasileira da Indústria da Construção, FINEP, Instituto Falcão Bauer, entre outros.

Trazido ao país em 2009 e tropicalizado para os padrões brasileiros de construção pela empresa paranaense Tecverde, o sistema construtivo é aprovado pelo Ministério das Cidades e premiado internacionalmente por estar mudando a forma de construir no país, para uma forma mais eficiente e sustentável. Após mais de 85 mil m² construídos, de casas do Minha Casa Minha Vida a casas de alto padrão, e mais de 10 mil famílias morando em casas eficientes, a Tecverde dá mais este importante passo. A montagem inaugura um novo ciclo para empresa, que recentemente recebeu investimento internacional para ampliar a sua atuação no país.

 MAIS DE 150 PESSOAS NO TECVERDE EXPERIENCE

 MAIS DE 200 PESSOAS  NO EVENTO DE MONTAGEM E FÁBRICA TECVERDE

 ALTA REPERCUSSÃO NOS MEIOS SOCIAIS

 DESTAQUE NA IMPRENSA 

“Esta foi a primeira vez que aplicamos o nosso sistema construtivo em duas torres de edifícios residenciais do programa Minha Casa Minha Vida. Porém, não é um programa experimental, fora do país já existem prédios em wood frame, construídos há muitos anos. Esta é a forma mais moderna que existe para se construir no mundo, com tecnologia de ponta, agilidade e economia. É o que nosso país precisa para sair da crise imobiliária e estamos orgulhosos de proporcionar isso ao Brasil”, comemora Caio Bonatto, sócio-fundador e CEO da Tecverde, empresa premiada internacionalmente (ONU, Unesco, Hèrmes de Innovación) pela inovação na construção civil.

PALESTRAS E VISITAS TÉCNICAS

Cerca de 200 profissionais visitaram a Tecverde, entre eles, uma comissão técnica multidisciplinar formada por representantes da CEF, COHAPAR, Fundação Araucária, TESIS, Universidades Estaduais e Federais do PR e SC, SENAI, APRE, Ministério das Cidades do Governo Federal e outros parceiros, que participaram de palestras no Sinduscon, visita a projetos em wood frame e à fábrica da Tecverde, finalizando o dia conhecendo o primeiro prédio em wood frame do Brasil.  

O objetivo da visita técnica foi expor os resultados da pesquisa e desenvolvimento da tecnologia Light Wood Frame para prédios de até quatro pavimentos no Brasil, realizada desde 2014 pela Tecverde e um grupo técnico formado pelo IPT, IFBQ e outros especialistas em construção wood frame. Na ocasião, a Engenheira Dra. Luciana Alves de Oliveira do IPT apresentou  a palestra “Resultados da análise de viabilidade da construção de prédios de quatro pavimentos no Brasil”, seguida por uma mesa redonda para debate composta por Marcelo Mitidieri do IFBQ, Luciana Oliveira do IPT, Pedro Moreira da Tecverde, Guilherme Stamato da Stamade e Bernardo Richter da Arquea Arquitetos.  

“Visitar a Tecverde foi a confirmação prática do que eu já conhecia, pois sou eu quem analisa os projetos e faço a autorização da concessão do sistema construtivo, acompanhei no Ministério das Cidades, mas nunca tinha visto na prática. Fiquei muito contente de ter visto a tecnologia aplicada, e fiquei muito satisfeito com o que eu vi, gostei muito. Estamos há sete anos cuidando e apoiando novos sistemas construtivos dentro da Caixa, estamos tentando puxar este setor de inovação para implantar sistemas novos, desde que com qualidade, certificação, tecnologia, ensaios, que é o caso da Tecverde. É o futuro, pois é um sistema limpo e não faz mais sentido trabalharmos com tanto desperdício de material e resíduos na construção”, Milton Anauate, Consultor da Presidência da PRESI – Consultoria da Presidência Caixa Econômica Federal.

Comissão Técnica


COMISSÃO TÉCNICA  –
  Uma comissão técnica além de participar das palestras no Sinduscon, realizou uma visita ao empreendimento do Programa Minha Casa Minha Vida – Residencial Moradias Nilo, pós-ocupação. Estiveram presentes os profissionais Carlos Eduardo Sartor da DURB – Departamento de Tecnologia para o Desenvolvimento Urbano e Mudanças Climáticas  Finep, Paulo Roberto Pupo da FIEP, Euclesio Finatti, Vice-Presidente de Área Técnica do Sinduscon, Georgia Grace Bernardes Coordenadora de Projetos da COMAT (CBIC), Laura Marcellini, Diretora Técnica da ABRAMAT, Maria Salette de Carvalho Weber, Coordenadora Geral do PBQP-H, Milton Anauate da PRESI – Consultoria da Presidência (CEF)Anna Paula Cunha, Gerente Nacional de Habitação da Caixa Econômica Federal, Ercilia Maria Mendes Tomaz, Coordenadora de Projetos da GEHPA – Gerencia Nacional de Padronização e Normas Técnicas Construção Civil. 

“Gostaria de agradecer convite que vocês fizeram, fiquei muito bem impressionada e até superou minhas expectativas, já conhecia o sistema que foi homologado por nós pelo SINAT, mas não pessoalmente. Estava com uma perspectiva de reunião e visita à fábrica, que foi muito rica também, mas o que mais me impressionou foi a visita ao empreendimento em si e conhecer os técnicos da Tecverde. Deu segurança não só no uso da tecnologia, mas também quanto à capacitação técnica que a Tecverde investiu em relação às normas de desempenho, ao SINAT e a todas as etapas do empreendimento. Uma construção que atende totalmente a todos os requisitos. Para mim, a Tecverde tem tudo para crescer e se multiplicar. Visitamos uma pós ocupação e conversei com uma moradora de uma unidade habitacional térrea, que demonstrou estar bastante satisfeita com sua moradia. A tecnologia desmistifica essa coisa de que só o convencional é seguro. Pude perceber também que a Tecverde tem um índice de produtividade bastante avançado. Fiquei muito feliz e satisfeita e espero que possam multiplicar não só  em termos de produção das unidades, mas para outras áreas também. Espero que em breve seja aprovado uma nova diretriz para prédios multifamiliares, e que se obtenham diversos DATECs para todo o país. 

O futuro da construção é esse, o wood frame vem para se consolidar junto a outros sistemas construtivos, pois existe uma preocupação com o meio ambiente, com a sustentabilidade e a Tecverde teve todos esses cuidados. A questão da produtividade é fundamental, como é uma tecnologia desenvolvida com a preocupação de assegurar todos os requisitos que a norma de desempenho exige, a tendência é que o uso do wood frame venha a crescer e com isso gerar um custo-benefício maior tanto para o usuário quanto para empresas que venham a fazer o uso desta tecnologia”. Maria Salette de Carvalho Weber, Coordenadora Geral do PBQP-H, representando também o Ministério das Cidades.

MAIORES CONSTRUTORAS DO PAÍS VALIDAM O WOOD FRAME E ESTÃO ENGAJADAS NA TRANSFORMAÇÃO DA INDÚSTRIA PARA UMA REALIDADE MAIS SUSTENTÁVEL

“Nós como MRV vemos como fundamental a migração da construção civil para novas e sustentáveis tecnologias, é uma avanço, não podemos andar pra trás. Já estamos realizando um condomínio de sobrados com a Tecverde em Suzano, São Paulo, e agora vim de São Paulo ver esta grande novidade. É muito importante em vários fatores, principalmente na sustentabilidade e velocidade da obra. Faz um tempo que estou acompanhando a Tecverde, fui com eles em uma visita técnica no Canadá onde se usa essa tecnologia há 200 anos. Agora que eles estão no pulo final, junto com o IPT e com a Falcão Bauer, estão tirando o selo para financiamento do prédio com a Caixa, aí vamos firmar continuidade na nossa parceria para prédios que é o nosso grande filão”, José Roberto Pereira de Lima, Gestor Executivo da MRV.

“A Casa Alta Construtora validou o sistema e também já é parceira da Tecverde para projetos de prédios em wood frame. “Um dos pontos principais que validam este sistema é sua rapidez, sem dúvidas. A qualidade é altíssima superando inclusive a alvenaria. Países desenvolvidos como Canadá, Estados Unidos já usam há anos e com sucesso, então não tem sentido um país como o Brasil ainda não adotar. Inovar e buscar novos resultados é muito importante na construção, o que eu fiz foi isso e acredito muito no resultado positivo desta parceria”, declara Juarez Wieck, Presidente da Casa Alta Construtora.

Com base em tendências mundiais aplicadas em sistemas construtivos que alinham inovação tecnológica e sustentabilidade, a tecnologia wood frame aplicada para edificações é o resultado de três anos de pesquisa. “Este é um projeto de grande impacto desenvolvido nos dois últimos anos em conjunto com instituições nacionais e internacionais, como o Instituto Falcão Bauer, IPT no Brasil e FPI Innovation e BCIT do Canadá”, explica Pedro Moreira, diretor de engenharia da Tecverde.

A tecnologia utilizada em edifícios multifamiliares com até quatro pavimentos desenvolvida pela Tecverde segue os padrões internacionais e atende às normas brasileiras quanto ao desempenho estrutural, incêndio, impermeabilização e conforto termoacústico. O sistema apresenta performance e durabilidade iguais ou superiores ao sistema convencionais, tendo durabilidade superior a 50 anos sem grandes manutenções. A tecnologia Tecverde para casas e sobrados já é financiada desde 2012 pela Caixa Econômica Federal e outros bancos.

“A entrada no mercado vertical vai ao encontro da visão da empresa de se tornar a maior fornecedora de habitações residenciais no mercado nacional, sempre buscando tornar o setor da construção civil mais industrializado e sustentável. Edifícios multifamiliares de quatro pavimentos em wood frame são comumente utilizados no Canadá, Estados Unidos, Austrália, países Escandinavos, por exemplo. Mais recentemente, normas e códigos de construção civil destes países foram adaptados para permitir a construção de prédios de até seis pavimentos, com a inclusão de alguns novos requisitos”, explica José Márcio Fernandes, diretor de tecnologia da Tecverde.

DIMINUIÇÃO DO DÉFICIT HABITACIONALObserva-se no mercado internacional uma tendência para aplicação de tecnologias que tornem as edificações mais sustentáveis, desde o sistema construtivo aplicado com base em recursos renováveis até um aumento na automação destas edificações. Alinhada a esta tendência e sabendo da realidade brasileira a Tecverde busca promover a sustentabilidade e democratizar o acesso a edifícios construídos com tecnologia inovadora. A construção vertical, diferente da horizontal, possibilita edifícios nos centros urbanos, onde estão localizados os maiores déficits habitacionais. Para atender essa demanda, a eficiência do processo de montagem da tecnologia Tecverde possui sinergia com estas regiões, que necessitam de um processo construtivo rápido e de baixo impacto ambiental. A atuação da Tecverde em parceria com a CAIXA Econômica Federal, prefeituras e construtoras já vem mudando a realidade de muitas pessoas e também diminuindo o déficit habitacional de muitas cidades.

EVENTO NA MÍDIA

Leia e assista às matérias completas:

 

Copyright © 2020
Ir para o topo